escrito durante um longo engarrafamento, enquanto pensava em você

queria eu ser aquela que te tira o sono, aquela que te assombra o pensamento, aquela que te faz ferver em febre, aquela que te faz cair em delírio, aquela que te apetece a língua, aquela que te engole em chamas, aquela que te treme as pernas, aquela que te arranca um grito, aquela que te marca a carne, aquela que te assalta a noite, aquela que te invade a paz, aquela que te rouba tudo, aquela que te permite o mundo, aquela

e única.

queria eu ser a única a te acordar na madrugada, a única a te ocupar o pensamento, a única a te carregar nas veias, a única a chamar teu nome, a única a jorrar teu sangue, a única a possuir seu corpo, a única a quebrar-lhe os ossos, a única a afagar seus cachos, a única a se abrigar no colo, a única a sussurrar luxúria, a única a provar teu gosto, a única a desejar teu corpo, a única

e aquela.

Advertisements

6 Responses to “escrito durante um longo engarrafamento, enquanto pensava em você”

  1. xasika Says:

    Vou trocar uns ‘a’s por ‘e’s e outros por ‘o’s, ok?

    Like

  2. Edmundo Says:

    Eu prefiro os teus textos menos cerebrais. Identificação.

    Like

  3. Deborah Prates Says:

    Arrepiei, babe. Como sempre seus textos me dão um soco no estômago, você foi lá e sentiu e pensou e escreveu antes da gente, o sentimento é o mesmo.

    Beijo beijo beijo

    Like

now, your turn!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s