le bain au milieu de la fin d’après-midi

só porque ontem escrevi sobre a chuva, hoje faz sol. há uma nuvem grande do lado de fora da janela, banhada no ouro das 14:25. é uma nuvem grossa, ainda que macia. parece sólida de tão branca, e pesada de tão espessa. gosto de nuvens espessas. me lembro de, quando criança, depois do almoço e depois do banho, deitar no concreto ainda quente do sol que acabara de virar, deitar na sombra do chão da quadra, na parte mais baixa e mirar o céu, na inocência de criança que, só consigo mesma, se diverte por horas e horas na própria imaginação. me lembro de, mirando as nuvens, ver o vento, que mudava os rostos e as formas num caleidoscópio branco. espesso. me lembro de tampar o sol com o dedão e rir, rir muito, uma risada do fundo do estômago, infinitamente contente em apenas existir.

olho pela janela e hoje a nuvem espessa não tem forma alguma. está lá fora, estática. não vejo o vento hoje… mas não estou triste. existo ainda. e hoje saiu o sol.

Advertisements

now, your turn!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s