zelar

parece pouco, muito pouco,
mas o que trago nos bolsos
são só lealdade e zelo.

te aproveita então
da minha reles fortuna,
(que é pouca, eu sei, mas é real e minha)
e reclama todas minhas posses.

rouba-me,
pois elas, na verdade,
nunca me pertenceram.
sempre tuas.
sempre foram tuas.

e repousa então tua cabeça no meu peito,
enlaça-te nos meus braços
como amálgama,

e fecha os teus olhos,
escutando a batida zelosa do meu coração.

embala-te no meu marcador de tempo,
traduz, em si, a canção do meu servir:

escuta com atenção e amor,
pois, como sempre,
o ritmo do meu íntimo,
falará por mim.

Advertisements

now, your turn!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s