c’mon c’mon

Eu grito, tentando ser mais alta que a canção do rádio:
“Vamos lá, vamos lá…
essa estrada é reta para o infinito!
E agora nem um só cretino
dessa cidade pode nos alcançar!”

Você diz: “Vá devagar, vá devagar, vamos esperar!”

E eu digo: “Vamos lá, vamos lá! Quer esperar o que?
Esperar a morte chegar?
Quero envelhecer duas vezes mais rápido
Por viver a vida da maneira mais ligeira que há!
Piso nesse acelerador até o fundo
E um muro
no meio do caminho é a única coisa que pode me parar!
Vamos lá, vamos lá!”

Lanço pro lado um olhar ligeiro,
Vejo você encolhido no banco do passageiro.
Olhos fechados, se pondo a rezar…
Tremendo de medo!
Medo que te congela e te impede de falar!
Você finalmente desengasga: “Freia, por favor… Quero parar!”
E eu grito, ao som do Rock: “Vamos lá, vamos lá!
Agora não é hora pra medo, vamos lá,
Se permite mais uma vez sonhar!
Desgrenha esses cabelos ao vento,
Pois essa cidade de cabeça pra baixo vamos virar.
É só você querer e me dizer ‘vamos lá’
que eu meto a quinta marcha
e vou queimando a borracha
até o próximo blues começar…”

Vai, me dá um beijo daqueles, vamos lá!
Um daqueles beijos que só você sabe me dar.
Com sabor de cigarro e chiclete de menta
E hamburguer de dinner dos anos cinquenta!
Querido, nada vai nos parar…
Toda essa diversão é para nós jovens
Pois velho nunca quero te ver ficar!
Vou acelerar até você trancar os dentes
E sentir o vento no seu ouvido cantar…

Coloque sua cabeça no meu ombro,
Sem temores, vamos lá!
Fugiremos, pé na estrada, sem direção,
Matando nossos pais de dor no coração!
Mas não importa. Entra, bate a porta,
não se preocupe com cinto de segurança
E jogue fora essa esperança
De que uma cavalaria viria te salvar.
Ela não vai chegar, meu amor, não vai…

Estamos lançados à própria sorte,
Essa Old Town é nossa sentença de morte!
Vamos lá, vai ser legal!
É bom um tudo que faz mal.
Meu príncipe, vamos lá, vamos lá.
Você vai gostar quando chegar!
Agora coloca no rosto um sorriso cheio de gás
E assista enquanto as placas de retorno ficam pra trás…

Do jeito que eu gosto.
Ajeita esse topete, meu James Dean!
Nossa vida agora será assim:
Os prazeres da vida em alta velocidade.
Conservando essa nossa jovem idade
E nossas peles brilhantes ao sol de ouro!
Quero te ver descamisado e bronzeado
Nesses bancos de couro
Macios do meu carro…
Vamos lá!
Prometo que dessa vez
Você sorrirá.

Eu quero viver tudo ao mesmo tempo
E agora. Com você.
Me cansei de sentar e esperar
O futuro trazer as coisas novas
Eu é que delas vou atrás.
Quero ver é sangue e gasolina no asfalto
E um céu azul no alto.
Quero uma garrafa de vinho barato,
Whisky, cinzano, jazz e xerez!
No meu cintilante Chevy 53…
Quero ver até o agora ficar para trás!
Vamos lá, vamos lá.
Não temos tempo para esperar. Vamos lá!
Eu te amo agora e nada vai nos segurar,
vamos lá…

Advertisements

Tags:

now, your turn!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s